Poderes

Por que alguém cai no conto do vigário da religião? Por que alguém se dedica a passar sua vida inteira em prol de algo que é falso? Não podíamos falar de divindades, mitologias e religiões sem os poderes que lhes são respectivos. A maioria da humanidade busca poder, e muitas pessoas tem uma curiosidade inconsciente tão grande que deseja ainda um poder oculto, uma satisfação, ou uma felicidade não realizada neste universo desfavorável. É a partir disso que as pessoas entram e caem na mentira da religião, das mitologias e das divindades. Estas tais prometem ao ser humano conceder-lhe poder se o mesmo fizer o que é mandado, promete vida eterna, promete riqueza, promete habilidades sobrenaturais e exclusivas, promete satisfação plena de desejos inconscientes que o homem na sua inocência não pode deixar de recusar, tendo elas mesmas a incapacidade de provar a veracidade de suas promessas. Violando totalmente todos os princípios naturais e prometendo um falso poder, a religião, mitologia e divindades tem se perpetuado no poder e no controle dos seres humanos desde sua iniciação, fazendo a humanidade se desvirtuar do que é o verdadeiro poder, que é o poder material. Estas religiões prometendo um poder espiritual conseguem nisto exercer o poder material sobre a humanidade os quais além de se dedicarem a ela e perderem seu tempo são capazes de sacrificar suas forças, inteligências e sua própria vida para realizar os ideais da mesma. Nesta parte podemos classificar os poderes destas organizações e entidades em dois grupos:

• Poderes antigos;
• Poderes modernos;

Poderes antigos

Os poderes antigos são os poderes que são relatados como sendo ocorridos antes da invenção da modernidade, que defino como: a invenção da fotografia, do rádio, da televisão e internet. Assim, tais poderes têm suas diversas formas de registro primitivo e quanto mais antigo é um registro mais “sobrenatural” ou “poderoso” é o evento. Isto pra começar mostra o quão falso são as alegações das religiões, mitologias e divindades, isto é, hoje em dia que temos equipamentos para registrar eventos sobrenaturais, pessoas mais intelectualizadas capazes de dar muito mais credibilidade as organizações elas simplesmente não possuem as manifestações dos poderes com os quais alegam ter.

Em diversas religiões, culturas, mitologias e divindades se relatam histórias de acontecimentos sobrenaturais, poderes mágicos, intervenções divinas sobre situações humanas e em todas elas até hoje não se pode provar nenhuma delas como verdadeiras, por dois motivos:

• Não há provas para tais;
• Não há tais ocorrências nos dias de hoje;

Dentre os poderes antigos podemos citar os mais importantes: Levitações, Transformações de Matéria, Deslocamentos de Estruturas Gigantescas, Comunicações com Seres Sobrenaturais, Ressurreições, Magias, Curas, Materializações e Profecias.

Tais poderes são totalmente ausentes nos dias atuais depois da invenção da modernidade, como por exemplo, não vemos ninguém levitar sobrenaturalmente, transformar um objeto em outro totalmente diferente só com o poder sobrenatural, deslocar grandes estruturas como super força ou poderes divinos, se comunicar com seres sobrenaturais como deuses, espíritos, também não vemos ninguém ser ressuscitado, não vemos efeitos mágicos, membros amputados sendo restituídos como cura, materializações, e nem profecias verdadeiras.

O que vemos hoje é na verdade pessoas relatando que num passado distante, homens e mulheres de tal região ou naturalidade: levitou, transformou objetos, fez grandes alterações geográficas, teve comunicações espirituais, ressuscitou, teve poderes mágicos, realizou curas milagrosas, presenciou materializações ou previu o futuro.

Sendo neste caso, insuficiente para declarar e enfatizar tais fatos como verdades, devido aos meios de comunicação que os mesmos foram registrados serem de natureza totalmente vulneráveis a todo tipo de corrupção.

Poderes modernos

Os poderes modernos são acontecimentos “ditos” sobrenaturais os quais tem seu ocorrido após a invenção da modernidade. Me parece, ao meu ver, que os acontecimentos são ainda piores do que os antigos, pois na era da modernidade os seus “feitos super poderosos” tentam unir seus poderes ou experiências sobrenaturais a explicações pseudocientíficas tornando tais eventos ainda mais contraditórios. É como eu disse, era para os poderes terem aumentado de intensidade e não diminuído, pois o mais incrível é que ele diminuiu tanto que foi capaz de deixar de existir. Dos poderes modernos podemos elaborar os seguintes:

• Paranormalidade;
• Milagres;
• Chi Kung;

Paranormalidade e Ocultismo

A paranormalidade e ocultismos possui seus fatores “sobrenaturais” particulares, mas nada que se compare aos poderes antigos registrados antes da modernidade. Dentre todos os acontecimentos paranormais ou sobrenaturais, até hoje, nenhum deles se provou ser realmente verdadeiro depois de analises e testes científicos, mas todos eles foram comprovados como truques ou métodos naturais para se passar uma imagem sobrenatural não tendo os mesmos tal natureza. Desde 1922 até hoje todos os ditos “paranormais” testados sob condições científicas foram pegos em flagrantes com seus truques ilusionistas. Há dois desafios sobrenaturais, o primeiro deles é o desafio de Randi, que concede 1 milhão de dólares a quem for capaz de provar a James Randi, um magico canadense especializado em sobrenatural e pseudociência, qualquer tipo de poder sobrenatural, seja paranormal ou ocultista. E até hoje, de todos os que foram se apresentar ninguém conseguiu ganhar o prêmio, mas tiveram seus truques desmascarados.

Já o segundo prêmio é o desafio que concede 1 milhão de dólares a qualquer cético que consiga provar a Victor Zammit, um advogado australiano, que não existe vida após a morte. De todas as pessoas que aceitam o desafio, a decisão do conselho de Zammit sempre deve ser a decisão final, este é o único motivo pelo qual seu desafio está de pé. Suas condições de apresentação (nº 6 - disponível em: http://www.victorzammit.com/skeptics/challenge.html) dizem que a decisão de seu conselho deve ser incontestável, absoluta e final. Ou seja, ele já tem a predisposição de não aceitar qualquer explicação ou contraprova, pois alega em seu caderno de exigências que teve experiências sobrenaturais de quase morte, observações científicas de seções mediúnicas e cientistas renomeados que acreditavam em vida após a morte, e que tais são provas incontestáveis para a existência de vida após a morte.

O erro deste desafio, fora as condições inadequadas que ele propõe é que os cientistas de renome que ele diz ter examinado cientificamente a vida após a morte são cientistas especializados em ficção científica ou cientistas espirituais. Todos eles são da época de 1850 a 1950, tendo sido falecidos em torno de 50 anos antes do desafio de Zammit. Veja: Sir Arthur Conan Doyle (1859-1930), Sir Oliver Lodge (1851-1940), Arthur Findlay (1883-1964), Camille Flammarion (1842-1925), Dr Baraduc (1850-1909), Professor Richet (1850-1935), Alfred Russel Wallace (1823-1913), Marconi (1874-1937), F.W. Myers (veja isso 1843-1901), Professor William James (1842-1910). Todos eles não provaram a existência nenhuma de vida após a morte, o que eles disseram foi que acreditavam em uma vida após a morte assim como acreditavam na existência de um deus, ou simplesmente porque são especializados em ficção científica. Isto se prova devido a que até hoje, na ciência, não existe prova científica de que existe vida a pós a morte. Isto não é algo declarado pela ciência como fato comprovado ou certo.

Milagres

Os hospitais estão lotados de doentes, há muitas pessoas morrendo praticamente a todo momento, muitas pessoas passando fome, e simplesmente vem alguns incautos, ignorantes, charlatões e mentirosos dizerem que existe milagre? O engraçado é que: este suposto milagre, feito por este deus, foi feito somente a você e não as outras milhões de pessoas mais justas e necessitadas do que você que mereciam também mas morreram ou sofreram né? Fala sério, quer dizer que este deus preferiu você do que a todas as dezenas de milhões de pessoas que estão precisando ou precisaram e mereciam de um milagre mas que simplesmente morreram, sofreram, são torturadas, maltratadas, estupradas, violentadas, passam fome ou que carecem que qualquer outro tipo de ajuda mas não receberam e não recebem porque simplesmente este deus preferiu você? Uma pessoa que mora no Brasil e que provavelmente possui comida na mesa, roupas, necessidades básicas supridas?

Isso é um absurdo. Por que supostamente “curou” fulano e deixou trilhões de ciclanos morrerem? Concluir que isso é milagre de um deus é totalmente irracional, não há deus que faça milagres. Este tipo de pessoas que argumentam que existe um deus que faz milagres são aquelas pessoas que olham somente o lado bom da natureza e ignoram as dezenas de milhões de defeitos, só focam nas pessoas que supostamente se recuperaram de uma doença e esquecem todas aquelas que mereciam e não receberam.

Em segundo lugar não há prova nenhuma de milagres divinos, mas sim de recuperação orgânica natural avançada em casos específicos na qual as pessoas erroneamente chamam de milagres. Como por exemplo pessoas que tiveram membros do corpo machucados e seus membros se recuperaram, porém vemos marcas de cicatrizes, marcas de cirurgias, deformidades, ora, milagre feito por um deus seria algo perfeito, recuperaria sem cicatrizes, marcas de cirurgia, deformidades, e etc. Também não vemos os milagres antigos nos dias de hoje, isso explica que na verdade não existe milagre algum.

Coisas naturais, como ver, ouvir, falar, remédios, andar, ter vida num planeta como a terra, ou qualquer outra coisa NATURAL e que as pessoas acham que isso é um milagre NÃO são milagres. Se existisse milagres era para o problema do mal ter sido resolvido a muito tempo, conforme explica a pagina deste site relacionada a isso (http://ateismo.esy.es/ateismo.html). Desta forma, tais pessoas não sabem o que falam.

Chi Kung

Embora o chi kung seja antigo suas práticas atuais estão sendo modernizadas. É baseado em movimentação, respiração e concentração de exercícios que têm a finalidade de estimular e promover uma melhor circulação de energia chamada “chi” no corpo. Derivado de técnicas milenares conhecidas como Tao Yin, o chi kung que é praticado nos dias de hoje remonta à época da Dinastia Han (206 a.C. - 220 d.C.), quando começou a ser sistematizado. O próprio termo chi kung é relativamente recente, data do início do século XX, sendo aplicado hoje a múltiplos exercícios para desenvolvimento da força ou para fins terapêuticos.

Os cientistas interessados em chi kung têm procurado descrever ou verificar os seus efeitos para explorar seus mecanismos, para formar a teoria científica a respeito do chi kung e identificar a metodologia de pesquisa adequada para um estudo mais aprofundado sobre o mesmo. Em termos de teoria tradicional, a existência do "chi" não foi verificada de forma independente em um ambiente experimental, e as bases científicas para grande parte da Medicina Alternativa e a Medicina Tradicional Chinesa ainda não foram publicados.

A medicina convencional inclui práticas e técnicas específicas com base na melhor evidência disponível demonstrando eficácia e segurança. O chi kung não é geralmente considerado como parte da medicina tradicional porque a pesquisa clínica sobre a efetividade do chi kung para condições médicas específicas é inconclusiva, e porque, no momento, não há consenso médico sobre a efetividade do chi kung. Porém segundo a obra de Myeong Soo Lee, Byeongsang Oh, e Edzard Ernst sobre “Chi Kung para Saúde” relata que o chi kung tem sido usado por profissionais de medicina integrativa, para complementar o tratamento médico convencional, com base em medicina complementar e alternativa.